Fundador do WikiLeaks aparece como defensor de grandes empresas de TI

Fundador do WikiLeaks aparece como defensor de grandes empresas de TI

Em comunicado a imprensa, Julian Assange disse que a Agência Central de Inteligência do Estados Unidos  perdeu o controle de um grande arsenal de ferramentas de combate cibernético. Ele disse que a WikiLeaks está trabalhando com empresas como a Apple e Microsoft para proteger melhor os dispositivos

Julian Assange, que tem sido chamado de inimigo dos Estados Unidos por causa de episódios como a divulgação de e-mails da campanha presidencial de Hillary Clinton usando a rede WikiLeaks, parece agora como um defensor das empresas de tecnologia americana.

Falando de Londres o WikiLeaks publicou uma grande quantidade de documentos que revelavam falhas de segurança em telefones e softwares, disse que daria acesso a grandes empresas de tecnologia americana gigantes como Apple e Google, informações para corrigir as falhas.

Segundo o Assange é importante para essas empresas trabalharem para que as correções sejam realizadas. Ainda segundo ele a motivação desse novo vazamento de documentos foi apresentar ao público como essas falhas em sistemas de grandes empresas estavam sendo utilizadas pela CIA para monitorar as pessoas, cidadãos americanos e não americanos no mundo todo.

Através de técnicas de hackeamento era possível realizar a escuta de conversas, saber o posicionamento das pessoas, bisbilhotar usuários através de webcams instaladas nos computadores e outras atividades ilicitas sem que o usuário ou mesmo as empresas soubessem que isso era possível.

Entretanto essa oferta é um pouco controversa e pode colocar muitas das empresas de tecnologia em uma posição difícil. Para os Estados Unidos, elas (as empresas) deveriam cooperar com alguém que é essencialmente um fora da lei? (Assange viveu na Embaixada do Equador em Londres desde 2012, quando procurou refúgio lá de uma investigação de agressão sexual na Suécia). Será mesmo legal para eles receberem informações roubadas? E não precisariam consultar o governo federal

Por outro lado as investigações sobre a suposta agressão sexual também é controversa pois muitas pessoas acreditam que isso foi uma forma de incriminar Assange de forma que ele fosse mandado para os Estados Unidos e julgado, isto é foi criado artificialmente um crime a fim de manda-lo para prisão por causa dos vazamentos de informações.

Na quinta-feira, Sean Spicer, secretário de imprensa do presidente Trump, disse que qualquer pessoa que esteja pensando em trabalhar com Assange deve primeiro verificar com o Departamento de Justiça dos Estados Unidos sobre as repercussões legais antes de seguir em frente.

Richard Valdivia

Richard Valdivia

Mestre pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). É editor e redator desde 2014 de diversos canais na internet. Entusiasta de novas tecnologias, mídias sociais e empreendedor digital. Nômade Digital na prática, está sempre em busca de novos desafios, como programar para plataformas emergentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *